Distribuir contido

Portugués

Distribuir

Distribuir contido

Boa parte do traballo do IGADI plásmase en numerosos artigos e colaboracións en prensa e revistas especializadas.

Para unha mellor clasificación e localización dos actuais 1895 artigos que integran a sección de Análise e Opinión, temos dividido estes nos seguintes apartados temático/xeográficos:

31/05/2016
31/05/2016
IGADI

Unha análise de Yuri Fraccaroli, titulado en Dirección e Xestión Pública (Uvigo) e bacharel en Políticas Públicas (USP).

No curso do processo de impeachment vivenciado por Dilma Rousseff, um dos principais temas que tendiam a aparecer recorrentemente nos discursos de análise política e nos diversos debates públicos era o questionamento sobre qual seria a influência de elementos machistas e misóginos na crise política por ela vivenciada, sobretudo, em relação à sua capacidade de governabilidade e a progressiva perda de apoio popular.

26/03/2016
26/03/2016
IGADI

Unha reflexión de Ricardo Antunes, Professor Titular de Sociologia na UNIVERSIDADE DE CAMPINAS (UNICAMP/BRASIL)

Os governos do PT (Lula e Dilma) foram forte exemplo de representação dos interesses das classes dominantes, articulado a um projeto de melhoras pontuais, como o Bolsa-Família, para os assalariados e setores mais pobres. Enquanto o cenário econômico foi favorável, o pais parecia caminhar bem, mas com o agravamento da crise econômica, social e política, seu futuro é imprevisível. Já nas eleições de outubro de 2014 era possível perceber uma redução em seu apoio junto às frações burguesas, uma vez que o quadro recessivo antecipava a necessidade de mudanças profundas em sua política econômica para ajustar-se ao novo cenário.

22/12/2014
21/12/2014
OPCh

No dia 20 cumpriram quinze anos da devolução de Macau á República Popular da China. Neste tempo transcorrido Macau foi apresentado como um modelo da realização do principio de “Um pais, dois sistemas”, melhorando o seu nível de vida em virtude do auge da indústria do jogo e uma adequada inserção na economia chinesa e regional.

  1. Qual a valoração geral destes três lustros de autonomia macaense?

 

  1. Á vista do acontecido recentemente em Hong Kong, acha diferenças substanciais no que atinge ao compromisso com o desenvolvimento democrático?

 

  1. Quais desafios destacam para o futuro de Macau?

 

Colaboran neste Especial do OPCh: Carmen Amado Mendes, Doutora (Ph.D.) pela School of Oriental and African Studies (SOAS), Universidade de Londres (2004). Professora Auxiliar da Licenciatura e do Mestrado em Relações Internacionais da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra; e Anabela Rodrigues Santiago, Mestre em Estudos Chineses, especialização em Economia e Negócios da China, pela Universidade de Aveiro. Licenciada em Linguas e Relações Empresariais pela Universidade de Aveiro.

04/06/2014
04/06/2014
OPCh

Especial del OPCh con Jorge Malena (Argentina) y Jorge Tavares da Silva (Portugal)

Se cumple este año el primer cuarto de siglo de la tragedia de Tiananmen. Muchas cosas han ocurrido en China desde entonces y se podría decir que mucho ha cambiado China también, al menos en ciertas percepciones. No obstante, el dictamen oficial se mantiene inalterable: una sedición contrarrevolucionaria cuyo triunfo habría conducido el país al caos echando por tierra el largo y difícil camino del renacimiento.

15/01/2014
15/01/2014
OPCh

Manel Ollé, Professor en història i cultura de la Xina contemporània, Universitat Pompeu Fabra; Julio A. Díaz Vázquez, Profesor del Centro de Investigaciones de la Economía Internacional, Universidad de La Habana, Cuba; Diana Andrea Gómez, Politóloga internacionalista experta en China, Directora Cátedra China, Universidad Nacional de Colombia; Eugenio Bregolat, ex embajador de España en China; Jorge Tavares da Silva, Presidente do Observatório de Comércio e Relações Internacionais e cordenador do Departamento de Gestão e Relações Internacionais do Instituto Superior de Ciências de Informação e Administração (ISCIA) (Portugal).

19/08/2013
19/08/2013

Quando visitei a Feira do Livro de Vigo este verão, numa brevíssima estadia na pátria (pois vivo na emigração), conversei com certo amigo livreiro, mormente sobre a precária situação da sua profissão. Não vira na sua livraria nenhuma publicação galega que fosse realmente novidade para mim, mas também queria fazer-lhe alguma despesa, como acostumo nestas ocasiões, e, quando já me dispunha a ir-me embora, reparei no volume “Amada liberdade” (Eds. Xerais, Vigo, 2013), as memórias do meu saudoso amigo e colega Fernando Pérez-Barreiro.

http://www.igadi.org/web/igadi/as-persoas/obituarios/o-perdurable-legado-de-fernando-perez-barreiro#carlosduran

Tempo exterior: Revista de análise e estudos internacionais