Ideias e Ideais para ser Nós no Mundo

Distribuir

Distribuir contido
Etiquetas

IGADI
Centro Cívico Sur
Rúa Luís Braille, 40

36003 Pontevedra
Galicia – España
Tel. (+34) 986 84 34 36
www.igadi.org
info@igadi.org

Instituto Galego de Análise e Documentação Internacional (IGADI) é um think tank independente que nasce em 1991 com um duplo objetivo: refletir sobre os problemas e tendências da sociedade internacional contemporânea, e incentivar uma maior inserção da Galiza no mundo a todos os níveis.

O IGADI tem a sua sede no lugar privilegiado que representa o arquipélago de San Simón, quadro histórico, artístico e natural de reconhecido valor e poderoso estímulo para o desenvolvimento das suas atividades.


Visão

Ideas e ideales para ser nosotros en el Mundo

Continuador da tradição universalista e profundamente humanista do galeguismo histórico, o IGADI promove um sistema internacional baseado na democracia, na distribuição equitativa dos recursos planetários entre pessoas e povos (e na sua utilização responsável e sustentável), no respeito dos Direitos Humanos baseado num compromisso com a defesa da diversidade e na busca de fórmulas de coexistência que asseguram o diálogo integrador de todas as identidades.

Missão

O IGADI é um coletivo que desempenha o seu trabalho com uma clara vocação de serviço público, tendo uma plena autonomia — condição indispensável para fomentar uma atividade plural e transpartidária — e apostando em afirmar-se como um espaço de encontro no qual todas as sensibilidades e disciplinas possam desenvolver-se de forma leal e eficiente. As instituições e a sociedade em geral encontram no IGADI um instrumento ao serviço das suas estratégias de ação exterior.

Os nossos objetivos

  • Afirmar-se como uma entidade influente na definição e dinamização da ação exterior dos diferentes atores institucionais a todos os níveis, em diálogo com todos os que têm capacidade para criar opiniões, tanto diretamente como através dos meios de comunicação.
  • Tornar-se um referente independente para as pessoas, instituições e empresas interessadas na internacionalização da Galiza, e num centro especializado em relações internacionais com reconhecida vocação para construir pontes entre diferentes tendências políticas e socioculturais.
  • Consolidar-se como uma entidade de excelência conectada com os grandes debates internacionais e capaz de gerar reflexões críticas e conhecimento reconhecido local e globalmente.
  • Concretizar uma aliança que fomente o processo plural e convergente de uma internacionalização ligada à identidade, partindo da consideração essencial de que a Galiza é uma autonomia no mundo.

Os nossos instrumentos

  • A formulação de iniciativas e análises, facultando informações de qualidade que permitam a compreensão das tendências globais, e nos situa na vanguarda da reflexão e dos estudos dos problemas internacionais.
  • O estímulo à investigação em âmbitos de interesse estratégico, tanto para a Galiza como internacionalmente, favorecendo a interdisciplinariedade e uma visão prospetiva que facilite a identificação de novas tendências e a definição das políticas públicas.
  • A consolidação dum espaço de debate de todas as pessoas e instituições interessadas  nas questões internacionais, com a vontade de gerar alianças num espírito de colaboração e de transformação social.
  • A implicação direta na dinamização de propostas concretas que favoreçam um maior compromisso exterior das administrações, dos agentes económicos e de outros atores da sociedade civil.

Âmbitos de atividade

A nossa atividade desenvolve-se em quatro âmbitos preferenciais:

Documentação

O Centro de Informação e Documentação Internacional Contemporânea, único no seu género na Galiza, conta com uma hemeroteca especializada e recebe mais de uma centena de publicações relativas aos assuntos internacionais. Trimestralmente, edita um Boletim de Sumários.

Análise e Investigação

Os programas de investigação (Paradiplomacia; Segurança, Conflitos e Pacificação; Cooperação Internacional ao Desenvolvimento) permitem aprofundar a dimensão analítica e tornar regular a colaboração dos investigadores de diferentes países associados ao centro. Na Paradiplomacia analisamos o quadro teórico sobre o qual se apoia a paradiplomacia mundial, definindo os eixos específicos e prioritários da paradiplomacia galega. Na Segurança, Conflitos e Pacificação, analisamos tanto as tendências globais como alguns estudos de caso, procurando sempre transcender a conjuntura. Na Cooperação Internacional ao Desenvolvimento analisamos o modelo galego, sugerindo caminhos e fórmulas para o seu enriquecimento permanente.

As análises fornecidas pelo IGADI aspiram a desempenhar um papel útil na tomada de decisões e a marcar um nível de especialização internacionalmente reconhecido nos campos preferenciais de investigação. Para tal efeito, presta-se especial atenção à interação com o mundo académico e universitário.

Difusão

Materializa-se na elaboração e publicação de numerosas tribunas e espaços de opinião sobre problemas, conflitos e tendências internacionais em vários meios de comunicação (imprensa, rádio e televisão) e em revistas especializadas, tanto na Galiza como de fora dela.

Para além da coleção Texturas Internacionais, no campo das publicações destaca-se a revista semestral de estudos internacionais Tempo exterior, criada em 1997 e refundada no ano 2000. Tempo exterior, que conta com um amplo Conselho Académico, é um  lugar de encontro para as reflexões e o debate, com o objeto de tecer as bases comuns de atuação da sociedade galega no mundo. Publica-se também Igadi Annual Report e We in the World, documentos informativos sobre a ação exterior de Galiza. Em 2011, iniciou ainda a publicação do Informe Mundial sobre Estados de Feito.

A rede ORBALIA de periodistas interessados na informação internacional (em colaboração com o Colexio Profesional de Xornalistas de Galicia), organizada e dinamizada pelo IGADI, tem por objeto dar maior visibilidade nos meios de comunicação à informação e análise internacional, e centrá-la nos interesses exteriores galegos.

O IGADI forma e proporciona especialistas em assuntos internacionais.

Gestão

O IGADI promoveu em 1997 a criação do Fondo Galego de Cooperación e Solidariedade (www.fondogalego.org) e hoje exerce a Secretaria Técnica desta associação de municípios e de eleitos da comunidade autónoma. O Fondo Galego agrupa mais de uma centena de entidades locais que põem em comum as suas ações de cooperação para o desenvolvimento.

O Observatorio de la Política China (www.politica-china.org), é um projeto promovido pelo IGADI que conta com o apoio da Casa Asia. O seu objetivo consiste em efetuar um seguimento permanente da evolução política no mundo chinês, prestando atenção ao seu sistema político e jurídico, à política exterior, à Taiwan, as nacionalidades minoritárias, aos direitos humanos, bem como à segurança e à defesa. O IGADI promoveu e gere igualmente a Rede Iberoamericana de Sinoloxía, na qual participam mais de vinte especialistas de uma dúzia de países. O OPCh publica o Informe Anual de la Política China e a revista digital trimestral Jiexi Zhonngguo. Organiza também o Simposio Eletrónico Internacional sobre Política China.

O Observatorio Galego da Lusofonía, OGALUS, põe o acento na língua ao promover o seguimento analítico da atualidade geral dos países integrando a Lusofonia, gerando propostas de sensibilização e dinamização da cooperação galego-lusófona a todos os níveis.

A criação e o impulso da Fundación Plácido Castro (2001), com a participação dos concelhos de Cambados, Corcubión e Vilagarcía de Arousa, bem como da Asociación de Tradutores Galegos, serve para reivindicar a obra e o pensamento de uma figura singular do galeguismo histórico. A Fundación organiza uma Conferencia Anual e um Premio de Tradución, entre outras atividades.

Somos uma equipa

A estrutura do IGADI inclui uma equipa básica permanente na qual se incluem analistas, webmasters e pessoal de administração, completados por uma rede de colaboradores e investigadores associados.

O Consello Reitor, plural a todos os níveis, junta um complemento de alta significado para a avaliação, melhoria e atualização permanente dos seus objetivos e atividades.

O IGADI acolhe estudantes em regime de estágios tuteladas e fomenta o intercambio de investigadores. Arredalia é o nome da rede que agrupa os antigos alunos em estágio.

Prioridades destacadas para o período 2011-2016

Aprofundar as principais áreas geopolíticas de estudo: América Latina, Mundo Chinês, Médio Oriente, Países da Lusofonia, Europa – com especial atenção para o mundo celta, para a Europa Central e Oriental, e para o espaço da antiga URSS.

Integrar a formação como um eixo de interesse específico, fomentando a participação em cursos organizados por diferentes Universidades ou centros de estudos, tanto públicos como privados, assim como por outras entidades preocupadas pela obtenção de aptidões académica qualificadoras. Esse aspeto passa também pela promoção de cursos e iniciativas próprias.

Melhorar a difusão da mensagem e dos documentos do IGADI, procurando chegar com maior fluidez às pessoas e coletivos interessados, e mais especialmente ao encontro das entidades afins no âmbito europeu e internacional.

Alargar o leque de pessoas e instituições implicadas nas nossas atividades, mais particularmente nos campos empresarial, político e associativo.

Consolidar o IGADI como referente na Galiza no que diz respeito ao debate, à reflexão plural e a um intercambio intercultural capaz de gerar ideias inovadoras e de incidir de modo efetivo no tecido social em questões de relevância internacional.

Incentivar o estabelecimento de sinergias e a potenciação de convergências com entidades que, dentro de Galiza ou fora dela, compartilham objetivos semelhantes, formalizando alianças e assegurando a integração em diferentes redes globais.

 

Versión de Joao Casqueira Cardoso

Tempo exterior: Revista de análise e estudos internacionais